Ano letivo 2012/2013

"A escola é mais do que um espaço onde se transmite conhecimento" - Vitorino Magalhães Godinho

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Gaitas de foles na Escola


Noticia:
Três músicos da escola da Fanfarra de S.Bernardo vieram à escola fazer um mini-concerto Tocaram com gaita-de-foles, com um tambor e com uma pandeireta.
A professora gostou tanto que disse que era bom nós irmos para a escola da Fanfarra de S. Bernardo.
Acho que o concerto foi muito giro. (David)


Estávamos nós a ensaiar a “chula” do Minho que é a música que a Joana, filha da nossa professora nos ensinou, quando apareceram dois rapazes e uma rapariga.
A professora disse-nos que eram os músicos que ela tinha convidado para um mini--concerto.
Quando acabàmos o ensaio fomos ouvi-los.
Em primeiro começaram por se apresentar.
O mais alto era o Zé e era o chefe da Banda de Gaita de Foles.
A rapariga era a Marta e era ajudante do Zé.
O outro era o Nuno e é irmão da Ana do 3ºano.
Primeiro tocaram um música galega com gaita de foles e tambor.
A outra música foi uma música escocesa com gaita de foles e pandeireta.
No final deixaram-nos ver os instrumentos.
A minha opinião sobre o mini-concerto foi que tocaram muito bem. ( Guilherme)

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

S. Valentim

Para os nossos pais:

Dia de S. Valentim
Vou-vos dar uma flor
Para vos agradecer
Todo o vosso amor.

Dia de S. Valentim
É dia dos namorados
Convido-vos para irem
Comigo, comer gelados.

Dia de S. Valentim
Rosas e violetas
Vos queria entregar
Como as não tenho
Um beijo
Vos vou dar.
Colectivo

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

A Vida é Bela e os Direitos Humanos


Resumo do filme

Uma história passada em Itália e na Alemanha durante a 2.ª Guerra Mundial.
Era uma vez um senhor chamado Guido que chamava Princesa à Dora, que era a mulher que ele amava.
Guido passava o tempo a surpreender Dora.
Um dia no Hotel Grand, em Itália, quando Dora ia casar com outro homem que não amava, pediu a Guido para a tirar dali.
Guido entrou montado num cavalo e disse a Dora para subir.
Dora subiu e foram para casa.
O tempo foi passando, Dora e Guido casaram e tiveram um filho.
No aniversário do filho, os soldados alemães levaram o pai e o filho porque eram Judeus.
Dora, apesar de não ser judia meteu-se no comboio também.
O comboio levou-os a um campo de concentração.
Para o filho não perceber o que aquilo era, Guido inventou um jogo e convenceu - o que estavam a viver dentro do jogo.
O tempo passou e as tropas Aliadas vieram para salvar as pessoas dos campos de concentração.
Guido mesmo na hora da libertação foi morto, mas o filho saiu do campo de concentração com os pontos que precisava para ganhar o “jogo”.
Ana Rita 3ºano

A Vida é Bela e os Direitos Humanos

O filme “A Vida é Bela” é bem um exemplo de como durante a 2ª Guerra Mundial não se respeitaram os Direitos Humanos.
Quando acabou a 2ª Guerra Mundial, um grupo de Nações juntou-se e escreveu a carta dos Direitos Humanos para que estes nunca mais fossem violados.
Em 1959, a ONU (Organização das Nações Unidas) escreveu e aprovou a “Declaração dos Direitos da Criança”.
Agora nenhuma criança pode ser descriminada como o Josué foi, por causa da sua religião.
Agora todas as crianças têm direito à protecção, à liberdade e à dignidade.
Agora todas as crianças têm direito à alimentação, a divertir-se e a assistência médica.
Para que Josué vivesse o melhor possível, no campo de concentração, o seu pai, com amor e imaginação foi inventando um jogo e conseguiu ir ultrapassando todos os perigos, criando-lhe um ambiente de “segurança”.
Então o Guido com o seu jogo conseguiu dar ao filho aquilo que a sociedade não lhe deu, protegendo-o das crueldades dos Nazis.
Existe uma carta dos Direitos da Criança mas infelizmente os dez princípios ainda não são cumpridos, em todo o Mundo.
Por isso ainda há muito que fazer.
Nós, para já, devemos estudar para quando formos adultos não no deixarmos enganar, pelos políticos e para, no futuro, vivermos em sociedade como bons adultos e contribuir para que outras crianças vivam felizes!

Guilherme, Sofia, Gonçalo, David, Igor, Ana Rita e Inês

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

video
Já desde 2005, tinhamos como projecto construir uma horta e fazermos plantações e sementeiras biológicas.
Não é só falar do Ambiente é preciso praticá - lo.
Tinhamos muita vontade.
A professora pediu apoio à Junta mas esse apoio nunca chegou e os nossos colegas do 4º ano foram para o 5º sem a horta.
No ano passado continuámos a querer desenvolver o projecto da Horta, já com outro grupo de colegas do 4º ano.
Tivemos muita sorte porque o Presidente da Câmara e o Vice- Presidente aceitaram o nosso convite, vieram participar numa das nossas Assembleias de turma e prometeram que nos íam apoiar. O Rodrigo trouxe umas paletes para que nos fizessem o muro da nossa horta e a nossa querida engenheira Enoi começou logo a trabalhar connosco. Mas a horta não foi construída e nós só plantámos tomateiros e alfaces, em garrafões.
Houve salada mas sem horta!
Este ano lectivo, a Câmara trouxe primeiro a terra, depois fizeram-se os canteiros, delimitou-se a Horta com as paletes, limpámos o solo das pedras e do mau estrume e finalmente plantámos os nossos morangueiros que protegemos com uma estufa.
A engenheira Enoi explicou-nos tudo e nós fizemos.
Passado uma semana a Rita descobriu, que apesar do mau tempo, havia morangueiros a rebentar.
Agora, passados 15 dias, temos um canteiro lindo cheio de viçosos morangueiros.